Carinho

Entre conversas e risos, me falava de algo, que para muitos, talvez não tivesse significado nenhum. 

Mas qualquer coisa dita com carinho soa de uma forma tão amorosa. 

Levantei, me despedi – umas trezentas vezes, mas não tinha coragem de ir embora.

Sabe quando você precisa – mesmo, ir, mas não quer, porém sente uma necessidade tão grande de ficar.

Os seus braços me contornava de uma forma tão, como posso dizer, carinhosa, e mais que fraternal, um abraço de amor.

“É um pecado deixar alguém na cama sozinho”, me disse.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s