Andei por colinas de areia

Eu não poderia deixar de passar o janeiro em branco. Além de todos os dias sermos mais lúcidos sobre nossas atitudes, ou não, aprendi que amadurecer dói mais que eu poderia imaginar. Cada dia a dor no peito aumenta, assim como aumentam as responsabilidades.

Aprendi neste janeiro de 2013 que ser forte exige paciência e doses de carinho próprio. São escolhas que devem ser feitas, escolhas pontuais.

Aprendi que o tempero da vida é o amor próprio. Aprendi que o segredo da vida é querer crescer junto.

Em janeiro encontrei o olhar mais curioso do mundo. Descobri os olhos mais lindos de todos. Descobri um brilho gigantesco na face. Me apaixonei pelo sorriso, por tudo.

No dia 13 de janeiro me encontrei com Deus, no deserto. Tive uma epifania, daquelas que geralmente acontecem duas ou três vezes na vida.

Senti o próprio Deus soprando em mim. Consegui entender que eu posso ser mais íntimo Dele.

Briguei muito, também. Tudo isso porque não me entendo e é difícil compreender os meus sentimentos.

Doeu muito e ainda dói um pouco.

No primeiro mês deste ano me machuquei, mas o mais importante: me curei de muita coisa ruim.

Magoei muitos, decepcionei. Mas também orgulhei outras.

Cheguei em casa de madrugada com saudades de abraçar os meus irmãos. E de ser coberto pelos meus pais.

Entrei em casa com vontade de dormir assistindo filme e comendo pipoca.

Com vontade de fazer piquenique na sala.

Sentei em cima do capô do carro, apontei para a lua e falei: “que coisa maravilhosa”.

Olhei para o céu mais estrelado do mundo e escolhi uma estrela para toda a eternidade.

Sonhei com o amor eterno, também.

Tive pesadelos e acordei de noite com sede, muita sede.

Tive belos sonhos e acordei ao lado da pessoa mais linda deste mundo.

Conheci pessoas fantásticas, outras nem tanto.

Andei.

Andei por colinas de areia.

Observei muito as pessoas.

Trabalhei com os melhores profissionais e amigos

Ví o meu reflexo e estou tentando fazer as pazes.

Foi um janeiro incrível.

Bem-vindo, 2013.

2 comentários em “Andei por colinas de areia

  1. Certa vez vc me disse que me admirava, me acompanhava desde a CN… Hoje sou eu quem digo: sou eu quem o admira, tenho orgulho de conhecê-lo, fico acompanhando seus passos felicíssimo por contemplar alguém tão cheio de vida, especial. Sou seu admirador. Torço pela sua felicidade!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s