A nossa viagem pela Rota dos Corais entre Alagoas e Pernambuco

Eu sempre fui relutante para viajar para o nordeste brasileiro. Muitos pensamentos passavam pela minha cabeça quando me convidavam para ir ao nordeste. Sabem aquela imagem que passa na TV de uma praia cheia, vendedores ambulantes, cerveja cara, milhares de ônibus da CVC “descendo”nas praias… Enfim, me passava muitas coisas, entre elas:

  • Não é muito caro?
  • Nossa, com esse valor faço uma trip internacional.
  • Praia lotada? Não vou nem aqui nem na China.

Aí as coisas começaram a mudar quando o Everton, que tinha férias agendadas para janeiro, começou a me mostrar alguns roteiros e possibilidades.

Eu olhei para as fotos que me mostrava e pensava: “Isso não é no Brasil. Deve ser no México ou América Central”. Mas não. Era Brasil mesmo. Era Nordeste. Era Alagoas…

Ai, pedi licença no trabalho para viajar em janeiro… Sim janeiro, um mês que tenho pavor de viajar. Aí ascendeu o alerta. Pensei “Nunca que eu vou viajar para o nordeste em janeiro… O mundo deve estar lá”.

Porém, como não tínhamos alternativa, começamos a planilhar nossos dias de JANEIRO no NORDESTE BRASILEIRO.

O que vou relatar neste poste é um roteiro que eu e o Everton montamos sem nenhuma ajuda profissional, apenas assistindo muitos vídeos no Youtube e pesquisando muito na internet, então eu acho que pode te ajudar bastante se você pensa em fazer uma trip bacana pelo nordeste… Na verdade o nordeste é tão grande, então vamos usar: “entre as Alagoas e o Pernambuco, mais especificamente entre Maceió e Recife” pois foi esse cantinho que conhecemos… E olha que não conhecemos nem 10% desse cantinho.

E ah, quer saber o que eu achei da viagem? Só vou contar láááá no final.

PLANEJAMENTO
Montamos um roteiro para aproveitar 6 dias completos e 2 dias apenas de viagem, sendo ao total 8 dias. A nossa viagem completa foi entre os dias 15 a 22.

A primeira coisa que fizemos foi reservamos as passagens aéreas. Achamos bons preços usando o sistema da 123 Milhas. Custou aproximadamente R$ 1000 por pessoa, seno os trechos:

Foz – Maceio/AL
Recife/PE – Foz

Não tivemos nenhum problema comprando com a 123 milhas e conseguimos uma economia de uns 35% em relação as ferramentas oficiais de reserva das cias aéras. Ah, sim… Esqueci de falar que compramos as passagens com a Azul – que descobri – domina o nordeste – aproximadamente 2 meses antes da viagem. Foi raro vermos avião da Gol ou da Latam nos aeroportos.

Total de passagem aérea para 2 pessoas: R$ 2.150 (parcelados em 6x – pois somos filhos de Deus).

Depois das passagens devidamente compradas e parceladas, fomos dar uma pausa… Assistir alguns filmes, comer algumas pizzas e depois voltamos para procurar os hotéis e fazer a separação dos dias e locais.

Então, vou tentar relatar com fotos e textos a ordem cronológica do nosso roteiro.

1 DIA – Chegada em Maceió

Por mais que decidimos ficar em Maceió, chegamos na cidade de tarde, então retiramos o carro na locadora e fomos para o hotel.

Na capital alagoana só conhecemos mesmo a praça do centro da cidade e fomos a feirinha de Pajuçara.

Em Maceió, ficamos hospedados no Cais da Praia. Um hotel a beira da praia muito bem localizado e super confortável.

No outro dia pela manhã, deu tempo apenas de tomar um ótimo café da manhã, e tocar com o Onix para São Miguel dos Milagres…

2 DIA – SÃO MIGUEL DOS MILAGRES ❤️

São Miguel dos Milagres é definitivamente o local onde eu mais tenho boas recordações da viagem. Não que não tenha sido tudo bom, foi tudo ótimo, mas, São Miguel dos Milagres nos mostrou uma face do nordeste que não era nada daquilo que eu imaginava. E isso foi surpreendente.

Para você ter uma ideia logo ao atracarmos na cidade, procuramos um local para comprar uma sunga – e quase não encontramos. Isso dá a dimensão de como lá é um vilarejo ainda pouco explorado. O turismo de massa ainda não chegou e aproveitamos muito bem os dois dias (porém apenas uma noite) que ficamos por lá. Foi tudo incrível.

Praia em São Miguel dos Milagres. Aqui (e no nordeste todo) a dica é ficar de olho na Tábua das Marés e garantir para curtir a praia na maré baixa

Chegando em São Miguel, o Everton já havia feito uma reserva antecipada nos passeios para as piscinas naturais com um jangadeiro da Associação dos Jangadeiros de São Miguel dos Milagres, então fomos direto esperar a saída da jangada.

Para nossa alegria, pegamos a primeira jangada com destino a felicidade. Eu jamais poderia imaginar o que esperaria por nós dois, os únicos na primeira jangada do dia.

Depois do passeio de jangada às piscinas naturais de São Miguel dos Milagres, a gente passou o dia em um receptivo e demos um rolezinho em mais algumas praias da cidade e da região.

O hotel que escolhemos para nos hospedar em São Miguel dos Milagres foi o Peixe do Mato. Foi um lugar que nos encantou e nos surpreendeu facilmente e fez a gente sentir arrependimento de não termos nos programado para ficar mais tempo.

Na manhã do dia seguinte, tomamos café e fomos fazer um tour de bike com o Toninho da Bike em Camaragibe.  O próprio Toninho nos guiou em todo o trajeto com sua simpatia e muito conhecimento da área. Em vários momentos a gente fez paradas para conhecer mais sobre as formações rochosos e ver de perto mariscos.

Com certeza foi um dos passeios mais incríveis que já fiz na vida.

Depois do passeio com o Toninho a gente foi conhecer outras praias em torno e depois pegamos a estrada para Maragogi.

4 DIA – Maragogi

Em Maragogi ficamos hospedados na Pousada das Taieiras, também super bem localizada próximo a praia central.

Maragogi já é uma cidade maior, com supermercados, grandes hotéis e uma boa estrutura. Muito diferente de São Miguel dos Milagres – e é exatamente por isso que gostamos tanto de São Miguel.

A cor da água das praias de Maragogi é simplesmente surreal. Um azul turquesa incrível. Não ao menos, a região é conhecida como a Bora Bora brasileira.

Depois de apenas uma noite em Maragogi, partimos para Ipojuca – que é famosa pela praia de Porto de Galinhas.

5 dia – Ipojuca / Porto de Galinhas

Em Porto de Galinhas, posto que chegamos a noite, aproveitamos para comprar lembrancinhas em um centrinho comercial bem movimentado e ótimos restaurantes. Vale lembrar que agora já estamos em território pernambucano.

Em Porto de Galinhas decidimos ficar 2 noites. Até porque é um dos locais mais visitados do Nordeste, com vários passeios, inclusive passeio de bug (que recomendamos bastante) e das piscinas naturas – que foi o que fizemos.

7 dia – Olinda / Recife

Como fomos por Maceió e voltamos por Recife, decidimos nos hospedar em Olinda, no centro histórico. Então, achamos um hotel que era um antigo casarão transformado em hotel coisa mais linda desse mundo, a Pousada Quatro Cantos. Em Olinda também ficamos duas noites.

Olinda foi outro lugar surpreendente, que pensamos “vamos voltar”. Chegamos de tarde e fomos zapear pelas ruas do centro histórico. Contratamos um guia turístico na praça Alto da Sé e fizemos um walking tour para conhecermos os prédios e igrejas históricas.

No outro dia fomos para Recife onde conhecemos o Museu do Frevo, Museu Cais do Sertão, um museu interativo sobre o homem do sertão e Luiz Gonzaga. Além de conhecermos o Mercado de São José e almoçamos no centro. De tarde fomos para o Instituto Ricardo Brennand.

Dicas

Para aproveitar os dias na sua viagem, a primeira dica é: alugue um carro. Um básico 1.0 já resolve o problema. Locamos com milhas, no Smiles, pagamos apenas os seguros e as taxas de entrega em outra cidade.

É muito importante ficar de olho no que eles chamam de Tábua das Marés, o que identifica a maré alta e baixa. Os passeios para as piscinas naturais só sai na maré baixa, sendo que o nível máximo da maré tolerável para os passeios é 0.6 e quanto mais baixo e próximo de 0 melhor. E se informe sobre as saídas dos passeios, é bom chegar 1,5h antes do horário que a maré estará em seu nível mais baixo.

Se procura por um lugar tranquilo fuja das praias mais conhecidas como Porto de Galinhas e Maragogi – por isso gostamos tanto de São Miguel dos Milagres.

O sol nasce de madrugada, às 05h. Então, aproveite para acordar bem cedinho para curtir o dia todo e conhecer várias praias e locais.

Esse texto está cheio de links importantes. Destaco o passeio de Bug em Ipojuca e o de bicicleta em São Miguel. Compre os passeios em locais credenciados e procure os jangadeiros que fazem parte de alguma associação, contribuindo dessa forma com o turismo legal.

Passe bastante protetor solar, principalmente no primeiro dia – que é o dia que vc está mais propenso a se queimar.

Se eu amei?

No começo eu estava muito receoso. Achava que iria encontrar lugares lotados – bem aqueles lugares que vemos na TV, sabe? Tem mesmo. Em vários lugares encontrávamos, mas é muito mais que só isso. Visitamos lugares lindos, paradisíacos e isso fez muito tudo valer a pena.

Eu amei!

Garon Piceli

30 anos, dramaturgo e jornalista com especialização em cinema pelo Instituto Nacional de Cine y Artes Audiovisuales de Buenos Aires. Pós ecouton em turismo pela Université Paris Sorbonne. Leia meu livro no Wattpad: https://goo.gl/wQi7Mx Contato: garonphn@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s